work

A vida passa, quando enches piscinas com um balde, furado.

. MONSTRUKTOR

February 26, 2019

#porto #bolhao #mercado #market #work #construction #worker #fluorescent #green #orange #sky #facade #confeitaria #impossible #lighting #light (at Mercado do Bolhão)
https://www.instagram.com/p/BsY114WA0D0/?utm_source=ig_tumblr_share&igshid=3gb7xa1jqwff

January 8, 2019

Looking for the fantasy attic in Brussels #tsos #plaka #sessions #porto #iritrogoff #benjaminseroussi #oliviermarbeouf #curating #myself #egocentric #politics #structural #ethics #bohemian #researcher #hard #work #headache #thankyou #beautiful #mind #conjuntural #procedural #tessellation #contact #ines #see #you #soon #startinthemiddle (at Palácio dos Correios)
https://www.instagram.com/p/BrcnDe3FH_F/?utm_source=ig_tumblr_share&igshid=1rb9o7def1sy5

December 16, 2018

Looking for the fantasy attic in Brussels #tsos #plaka #sessions #porto #iritrogoff #benjaminseroussi #oliviermarbeouf #curating #myself #egocentric #politics #structural #ethics #bohemian #researcher #hard #work #headache #thankyou #beautiful #mind #conjuntural #procedural #tessellation #contact #ines #see #you #soon #startinthemiddle #intellectual #brothel (at Palácio dos Correios)
https://www.instagram.com/p/BrbF-K9Au1f/?utm_source=ig_tumblr_share&igshid=1ijcp1rqpodup

December 15, 2018

Acusam-me de demasiado: demasiado intenso, sério, perfeccionista, competente, interessado, demasiado… enfim. Sou assim um… anjo negro da morte da mediocridade, e como tal, fatalista, exterminador de baixas expetativas e afins, até ao fim.

the MONSTRUKTOR

November 1, 2018

Acusam-me de demasiado: demasiado intenso, sério, perfeccionista, competente, interessado, demasiado… enfim. Sou assim um… anjo negro da morte da mediocridade, e como tal, fatalista, exterminador de baixas expetativas e afins, até ao fim.

the MONSTRUKTOR

November 1, 2018

Por vezes encerramos para descansar… Mas é só para voltar ainda mais intensos! #studium #unbuilt #series #exhibition #gallery #bw #gate #door #closed #open #porto #architecture #design #graphicdesign #webdesign #productdesign #studio #life #work (at Studium . creative studio & gallery)
https://www.instagram.com/p/BopC97agK6T/?utm_source=ig_tumblr_share&igshid=16jjwduidf7tj

October 7, 2018

Por vezes encerramos para descansar… Mas é só para voltar ainda mais intensos! #studium #unbuilt #series #exhibition #gallery #bw #gate #door #closed #open #porto #architecture #design #graphicdesign #webdesign #productdesign #studio #life #work (at Studium . creative studio & gallery)
https://www.instagram.com/p/BopC97agK6T/?utm_source=ig_tumblr_share&igshid=16jjwduidf7tj

October 7, 2018

The exhibition is an idealization of a curatorial program made from a critical analysis of 04 very specific themes: a cientific research on architecture and vernacular standards, assembled from prequesites of social interactions from pre-existing housing models; a graphical design based system, set on an analog and descriptive method of serialization and media appropriation; an industrial and product design stand (display) focused on the activation of the anamorphic material and printed cientific content; a digital marketing and social communication campaign with generic tools and post activation of new web tools. This is the UNBUILT series and the map to the questions.

the MONSTRUKTOR

October 6, 2018

Só quando me perdem é que me sentem.

the MONSTRUKTOR

September 28, 2018

Só quando me perdem é que me sentem.

the MONSTRUKTOR

September 28, 2018

Even a blind man can see.

the MONSTRUKTOR

August 27, 2018

A dificuldade suprema no entendimento de algo, não depende dos conceitos explícitos pelo discurso, mas da fraqueza de daí abstrair a única definição possível do ser singular. Por isso, a percepção do que somos nunca passará do catálogo de obediência mundana e da falta de coragem para enfrentar o quão insignificante a nossa manifesta indignação é.

the MONSTRUKTOR

June 5, 2018

A dificuldade suprema no entendimento de algo, não depende dos conceitos explícitos pelo discurso, mas da fraqueza de daí abstrair a única definição possível do ser singular. Por isso, a percepção do que somos nunca passará do catálogo de obediência mundana e da falta de coragem para enfrentar o quão insignificante a nossa manifesta indignação é.

the MONSTRUKTOR

June 5, 2018

Maintain the flow of legacy. Obtain the ordinance of a curated goal through inclusion and opinion. Gain from participation and succeed from that flow of people, thoughts and concepts. Results are abundant, altruists to complement my visions are scarce.

the MONSTRUKTOR

May 3, 2018

Resonance @ fortuitous assembly of a background, made by, and for, a finite system of action, in which the actionable content can be measured in several spectrums, wave lengths and dimensions. Assertiveness, rigour, vision, passion and a very specific oddity.

the MONSTRUKTOR

May 3, 2018

Working as I got something to give, makes me sure to expect the retribution of collaboration. Motivation is a matter of inclusion and participation. The on suffixe keeps appearing…

the MONSTRUKTOR

April 24, 2018

Flow @ the state of the blind sight, of the silent profusion of noise, of inconspicuous reverbations, of the absent touch of certainty, of the repetion untill infinity of the present sureness. A constant supriment of ambition, desire and strength.

the MONSTRUKTOR

April 9, 2018

A arte de ser artista, não da arte, mas das artes, essas ardilosas variações do tema artista. Algo como, o artífice de algo artificial, astuto na medida antagónica da boa intenção e vontade ambiciosa em alcançar o que nunca será seu. O apanágio da resposta sã da evolução humana em artistices, financiadas publicamente por quem adire ao engodo, ou mesmo enganado, decide não ousar critério.

the MONSTRUKTOR

April 9, 2018

A arte de ser artista, não da arte, mas das artes, essas ardilosas variações do tema artista. Algo como, o artífice de algo artificial, astuto na medida antagónica da boa intenção e vontade ambiciosa em alcançar o que nunca será seu. O apanágio da resposta sã da evolução humana em artistices, financiadas publicamente por quem adire ao engodo, ou mesmo enganado, decide não ousar critério.

the MONSTRUKTOR

April 9, 2018

Extrapolation @ the deduction from the obvious, enhancing backwards validation and retro positives. Some are able to do it instinctively, I prefer to rationalize intents with facts, factors and conditions. This is my creative process in an advanced design thinking – applied generically to all mediums and not exclusively to a creative methodology – which disserts my everyday decisions with remarkable justifications, irrefutable detail and my incomparable assertive oddity.

the MONSTRUKTOR

April 8, 2018

Sofrer é um hábito, é uma rotina que não se pode explicar a todos, nem fazer desaparecer com a vontade. É uma virtude que se não for de vítima dá algo mais, algo que a mera palavra não consegue explicar. É um âmago de coragem que não depende desse resultado pontiagudo que geralmente se recusa, e pelo contrário intensifica o contornos de todas as formas. Ou então, estou em negação e preciso de ajuda para identificar-me como agressor.

the MONSTRUKTOR

April 5, 2018

Sofrer é um hábito, é uma rotina que não se pode explicar a todos, nem fazer desaparecer com a vontade. É uma virtude que se não for de vítima dá algo mais, algo que a mera palavra não consegue explicar. É um âmago de coragem que não depende desse resultado pontiagudo que geralmente se recusa, e pelo contrário intensifica o contornos de todas as formas. Ou então, estou em negação e preciso de ajuda para identificar-me como agressor.

the MONSTRUKTOR

April 5, 2018

Aukthor

Uncanny conditions will present the strangest results. Daily.

Idiosyncrasies of the course of action; the struggle to document the correct choices; always proposing advances in the preposition of predisposition; the ability to communicate openly, yet strategically manipulating the emissary, the recognition and the receiving order of understanding, and the message contained in the end result.

This is the measure of how I am able to continue to pursue my career, through authorship. Day by day.

I know it for ever, but I was deemed unworthy by the nearest jealousy. It prevented me, justified only by my ignorance (the one I can’t yet control, in the unfortunate belief in humans), to act upon it. I always give them the benefit of a true creed, trusting and joining their self quest. Mostly lies, put on display as soon as the barrier between belief and actionable demand acts as a filter. The particles of true competence are then retained and clog the dynamics of trust, intensifying the expectations of everyone’s interest into the current disappointment and usual mediocrity.

My awareness, was definitely imposed by the denial I must provide to the weak. I know it now by experience, by my expanded thinking of people and their things; I know it by the infinite connection of the point cloud nobody even sees as a shape. I know it dot by dot, one by one of them. Everyday.

I have things inside I can’t communicate. I know it, clearly. They are not secrets or even regrets, just indecipherable theorems of my own mundanity waiting for me to proccess them into the dissection of my uncomfortable rational passion about life. Patiently, as a sage and never as a pariah.

It’s hard to know what others don’t see and should feel about themselves but harder is to know how to say it and not be alowed to.

April 4, 2018

Exiguidade @ no acesso à minha atenção, pela necessidade que tenho de me ter mais em tempo e forma. Especialmente imposto, aos que não se dão da mesma maneira a si próprios, como sendo o apanágio do seu domínio e auto estima, e em resposta à minha suprema exigência.

the MONSTRUKTOR

March 29, 2018

Exiguidade @ no acesso à minha atenção, pela necessidade que tenho de me ter mais em tempo e forma. Especialmente imposto, aos que não se dão da mesma maneira a si próprios, como sendo o apanágio do seu domínio e auto estima, e em resposta à minha suprema exigência.

the MONSTRUKTOR

March 29, 2018

Travão

Apetece-me muito mas sei que não posso, ainda. Há essa vontade de ser e fazer ser como ninguém, em mim, mas não a há dentro de quem me interessa. Erro, pois primeiro, interesso-me por toda a gente, e isso não está bem.

Eu sei o que quero, como quero e quando quero, mas nos outros há um limite que não se ultrapassa. É ócio, mais preguiça que dúvida, uma facilidade que se permito, erro, eu, pois dou sem pensar, eles não.

Erro. Não posso. Não devo, não tenho sequer que aligeirar a proximidade que permite essa usurpação da minha vontade de estar presente por mim só.

Eu sei que sou mais. Tudo. Mas também sou fácil, útil, perto, ductil. Sou e dou o que tenho na expectativa da execução, sempre gorada nas múltiplas vezes que repito o que digo até à exaustão.

Erro. Aprendo. Protejo-me pouco e os espertos vêem bem isso. São astutos na forma como se encavalitam em mim. Usam e abusam da minha infinita vontade de melhor, nunca mais.

Parar, porquê? Pelos outros, mais uma vez, ou por mim, de facto?

Sim, talvez, parar agora num sinal de força e reunião de ainda mais força. Juntar a visão à forma, ao discurso e ao foco. Simplesmente, prever orientar-me nesse labirinto de sucção humana para usar a solução à partida.

Sim, parar para avançar.

March 27, 2018

Travão

Apetece-me muito mas sei que não posso, ainda. Há essa vontade de ser e fazer ser como ninguém, em mim, mas não a há dentro de quem me interessa. Erro, pois primeiro, interesso-me por toda a gente, e isso não está bem.

Eu sei o que quero, como quero e quando quero, mas nos outros há um limite que não se ultrapassa. É ócio, mais preguiça que dúvida, uma facilidade que se permito, erro, eu, pois dou sem pensar, eles não.

Erro. Não posso. Não devo, não tenho sequer que aligeirar a proximidade que permite essa usurpação da minha vontade de estar presente por mim só.

Eu sei que sou mais. Tudo. Mas também sou fácil, útil, perto, ductil. Sou e dou o que tenho na expectativa da execução, sempre gorada nas múltiplas vezes que repito o que digo até à exaustão.

Erro. Aprendo. Protejo-me pouco e os espertos vêem bem isso. São astutos na forma como se encavalitam em mim. Usam e abusam da minha infinita vontade de melhor, nunca mais.

Parar, porquê? Pelos outros, mais uma vez, ou por mim, de facto?

Sim, talvez, parar agora num sinal de força e reunião de ainda mais força. Juntar a visão à forma, ao discurso e ao foco. Simplesmente, prever orientar-me nesse labirinto de sucção humana para usar a solução à partida.

Sim, parar para avançar.

March 27, 2018

@studiumpt #work #workstation #light #lamp #Yellow #green #Chair #table #tools #box #bokeh #blur #studio #Workplace #drafting #table #dof #Porto #studium #creative #architecture #design #graphic #graphicdesign #web #webdesign #productdesign #secondhome #Team (at studium)

March 23, 2018

Afasta-te das pessoas, desse sentimento que te contamina e te seduz. Deixa que a perda as invada e até eu sinta que é injusto. Faz com que a dúvida se dissipe, imediatamente após a descoberta dessa luz. Agonia é viver nesse estado, não é mudar para o meu patamar, que por ser elevado, não justifica, nunca, como, eu sou sempre magoado.

the MONSTRUKTOR

March 22, 2018

@studiumpt #work #workstation #light #lamp #Yellow #green #Chair #table #tools #box #bokeh #blur #studio #Workplace #drafting #table #dof #Porto #studium #creative #architecture #design #graphic #graphicdesign #web #webdesign #productdesign #secondhome #Team (at studium)

March 22, 2018

@studiumpt #work #workstation #light #lamp #Yellow #green #Chair #table #tools #box #bokeh #blur #studio #Workplace #drafting #table #dof #Porto #studium #creative #architecture #design #graphic #graphicdesign #web #webdesign #productdesign #secondhome #Team (at studium)

March 21, 2018

A magnitude da purga, essa magnífica imagem que é, a renovada forma de ser novo, a magnânime indulgência do pretérito perfeito que é, a busca do que ainda não é nada para ninguém. Esse mistério propõe compromisso, perda e talvez até remorso, mas nunca em mim, e nunca irá ser a causa da morte do critério e da intensidade de viver assim. Nunca deixarei de ser quem sou, só para depois criar quem me rodeia.

the MONSTRUKTOR

March 21, 2018

A magnitude da purga, essa magnífica imagem que é, a renovada forma de ser novo, a magnânime indulgência do pretérito perfeito que é, a busca do que ainda não é nada para ninguém. Esse mistério propõe compromisso, perda e talvez até remorso, mas nunca em mim, e nunca irá ser a causa da morte do critério e da intensidade de viver assim. Nunca deixarei de ser quem sou, só para depois criar quem me rodeia.

the MONSTRUKTOR

March 21, 2018

@studiumpt #work #workstation #light #lamp #Yellow #green #Chair #table #tools #box #bokeh #blur #studio #Workplace #drafting #table #dof #Porto #studium #creative #architecture #design #graphic #graphicdesign #web #webdesign #productdesign #secondhome #Team (at studium)

March 21, 2018

@studiumpt #work #workstation #light #lamp #Yellow #green #Chair #table #tools #box #bokeh #blur #studio #Workplace #drafting #table #dof #Porto #studium #creative #architecture #design #graphic #graphicdesign #web #webdesign #productdesign #secondhome #Team (at studium)

March 20, 2018

Extravasar-me @ um ato auto inflito, fora do normal, que reconhece o direito ao atravessamento e vazamento de matéria valor, na direcção pública da exposição mediática e natural.

the MONSTRUKTOR

March 20, 2018

#work #workstation #light #lamp #Yellow #green #Chair #table #tools #box #bokeh #blur #studio #Workplace #drafting #table #dof #Porto #studium #creative #architecture #design #graphic #graphicdesign #web #webdesign #productdesign #secondhome #Team #connections #dialog #legacy @studiumpt (at studium)

March 19, 2018

#menino #especial #curso #cinema #camara #camera #video #canon #sony #fullframe #storyboard #plans #escala #work #street #creative #director #direction (at Palacette of Belomonte)

March 16, 2018

#curso #cinema #camara #camera #video #canon #sony #fullframe #storyboard #plans #escala #work #street #creative #director #direction (at Palacette of Belomonte)

March 16, 2018

#curso #cinema #camara #camera #video #canon #sony #fullframe #storyboard #plans #escala #work #street #creative #director #direction (at Palacette of Belomonte)

March 16, 2018

#curso #cinema #camara #camera #video #canon #sony #fullframe #storyboard #plans #escala #work #street #creative #director #direction (at Palacette of Belomonte)

March 16, 2018

#curso #cinema #camara #camera #video #canon #sony #fullframe #storyboard #plans #escala #work #street #creative #director #direction (at Palacette of Belomonte)

March 16, 2018

#curso #cinema #camara #camera #video #canon #sony #fullframe #storyboard #plans #escala #work #street #creative #director #direction (at Palacette of Belomonte)

March 16, 2018

#curso #cinema #camara #camera #video #canon #sony #fullframe #storyboard #plans #escala #work #street #creative #director #direction (at Palacette of Belomonte)

March 16, 2018

#curso #cinema #camara #camera #video #canon #sony #fullframe #storyboard #plans #escala #work #street #creative #director #direction (at Palacette of Belomonte)

March 16, 2018

Redemption comes from more and more mistakes.

the MONSTRUKTOR

March 16, 2018

A howling noise, only recognized as coming of a master, ascending from his own birth; the mark of this new age of enlightenment. The product of a human, decoding the prerequisites of a larger life into the particles that enable ignorance to leave. Intense, pungent, fulfilling, erect, this is the smell of ambition and perseverance, in the mind of the man.

the MONSTRUKTOR

March 12, 2018

#Porto #people #Construction #BlackMirror #unaware #perspectives #street #crossing #walking #wandering #city #walkable #future #aware #thinking #liga #architecture #studium #work #project #refurbishment #interiordesign #graphicdesign #webdesign #pharmacy #master #architect #designer #author (at Rua do Bonjardim)

March 11, 2018

#Porto #people #Construction #BlackMirror #unaware #perspectives #street #crossing #walking #wandering #city #walkable #future #aware #thinking #liga #architecture #studium #work #project #refurbishment #interiordesign #graphicdesign #webdesign #pharmacy #master (at Rua do Bonjardim)

March 11, 2018

#Porto #people #Construction #BlackMirror #unaware #perspectives #street #crossing #walking #wandering #city #walkable #future #aware #thinking #liga #architecture #studium #work #project #refurbishment #interiordesign #graphicdesign #webdesign #pharmacy #master (at Rua do Bonjardim)

March 11, 2018

#Porto #people #Construction #BlackMirror #unaware #perspectives #street #crossing #walking #wandering #city #walkable #future #aware #thinking #liga #architecture #studium #work #project #refurbishment #interiordesign #graphicdesign #webdesign #pharmacy #master (at Rua do Bonjardim)

March 11, 2018

Hei-de morrer com um único remorso na minha vida: não ter tido remorsos de nada.

the MONSTRUKTOR

March 9, 2018

Hei-de morrer com um único remorso na minha vida: não ter tido remorsos de nada.

the MONSTRUKTOR

March 9, 2018

The end result of this focused intensity is a remarkable insight into the notable future of titans. The leftovers are mediocrity and a regretful past.

the MONSTRUKTOR

March 8, 2018

Restrictions will always create more freedom.

the MONSTRUKTOR

March 7, 2018

Preciso desesperadamente mudar a minha imagem: todos me confundem com um gajo porreiro, mas que nunca deixa de magoar com a verdade e isso deixa-me triste porque eu não sou nada assim… Ó pá, eu só sou aquele gajo, porreiro, que gosta de estar bem, com todos, sempre na minha vida pacata, e a pensar no meu quentinho. Continuo sem perceber, porque me confundem, e é sempre com o que não lhes interessa, e é sempre quando eu lhes digo isso que fogem. Até acredito mais do que eles que eles não são medricas – pelo menos é o que me dizem – mas eu não penso muito nisso. Até porque, dizem que é da forma como eu falo, mas eu estou sempre a avisar que não é! É do conteúdo! Eu sei, eu preciso mesmo mudar a minha vida, rapidamente! É que até vem aí o sol, e tudo. Quentinho…! Ahhh… Vou mesmo mudar 😉

the MONSTRUKTOR

March 5, 2018

Agora sei que nem o tempo me acompanha. Nem no espaço nem da dimensão que sabemos existirem várias. Seja por causa ou razão humana, minha ou por minha causa, em ambas há sempre uma diferença inconciliável entre pensar, agir e de facto fazer, por mim ou em grupo. É irascível o que vejo não acontecer; insuportável na insurreição da minha vontade mas também na decadência de vê-los mirrar. Extintos, auto inflitos, aflitos, mas vorazes a reivindicar o reino do nada, dedicam tudo a não ser como eu, um titã.

the MONSTRUKTOR

March 4, 2018

A serenidade, solene, em equilíbrio com tudo o que é necessário à minha volta. Sensível, sem dúvida do que ser humano significa para todos estes outros que vivem de mim.

the MONSTRUKTOR

March 3, 2018

A serenidade, solene, em equilíbrio com tudo o que é necessário à minha volta. Sensível, sem dúvida do que ser humano significa para todos estes outros que vivem de mim.

the MONSTRUKTOR

March 3, 2018

#rocks #pathetic #rubble #puzzle #work (at Porto District)

March 3, 2018

A vida de alguns é uma erva ao vento; esse sopro que o meu movimento provoca.

the MONSTRUKTOR

March 3, 2018

A vida de alguns é uma erva ao vento; esse sopro que o meu movimento provoca.

the MONSTRUKTOR

March 3, 2018

“Tu não percebes, que ficam desconfortáveis com a tua forma de ser, és muito intenso, muito rigoroso…” Continuo sem perceber, não quero. Ahhh… Como eu prefiro este meu dom da ignorância…

the MONSTRUKTOR

February 5, 2018

“Tu não percebes, que ficam desconfortáveis com a tua forma de ser, és muito intenso, muito rigoroso…” Continuo sem perceber, não quero. Ahhh… Como eu prefiro este meu dom da ignorância…

the MONSTRUKTOR

February 5, 2018

Eu magoo, eu inflijo em todos o que mais cruel existe neles. Sou a personificação do medo que existe no reflexo pessoal da vida de cada um.. Mais do que somente o tonto que anui com o medíocre estado de estar sem ser…

the MONSTRUKTOR

February 5, 2018

Pacto

Vivo num despudor de aceitação, mas nem de acordo com a mentira que vive dentro dos outros! Só, porque me deixo usar pela bondade e gratidão que emano, a que só, eu dou.

A retribuição não existe. Essa forma plena de obrigado é uma miragem concreta na cabeça de quem a profere, mas em mim… nem a sinto. Essa mentira contada a eles próprios aflige-me, pois de alguma forma pactuei com esta falta de carácter ao longo destes anos. Devia ter sido ainda mais direto, menos respeitador dessa demência que incapacita, mais eu – assertivo e inconvenientemente carrasco da falta de verdade – até porque, no final, quem sente a deficiência, sou eu.

Agora, que mostro da minha forma adulta o que não posso aceitar por cada um que me rodeia, sou um tirano. Sou desmedido e exagerado, demasiado intenso, demasiado sério. Pedem-me que mude, me mude. Que altere a forma rigorosa e assertiva de ser notável. Ser, rigoroso, exigente, disciplinado. Sagaz.

Quando posso ser visionário, sou finalmente eu. Livre, para criar dentro de todas as regras, sistemas e normas que alimentam a visão de excelência e notabilidade de onde nasci. Visualizo-me, e a eles, e nesse duplo reflexo ajo como o espelho da verdade. Assim vêem-se momentaneamente, miram-se incapazes. As pernas tremem da verdade incontornável, pública, despudorada, essa sim, algo em que aceito viver. São mesquinhos, mentem por pouco, até aceitam o roubo de uma carica por ser só isso, uma carica. São indecentes comigo, mas primeiro com eles. Escolhas.

Neste claro momento de mim, só, porque ninguém me acompanha, devo assumir essa solidão? Só, porque os carrego comigo, vou resignar-me a ser um ser, só? Só porque eles não são capazes eu tenho de abrandar? Há quem diga que temos que ajudar o próximo, há quem clame que nós somos o primeiro momento de ajuda aos outros, eu afirmo que me prefiro, só.

Vou continuar, mais adentro. Ninguém que eu conheço tem a capacidade de me ignorar, de ser indiferente ou que eu o seja a si. Sou marcante pela minha excentricidade humilde; pela minha intensidade que humedece os olhos aos amigos e as pernas ás que me cobiçam. Deixo sempre uma marca, sem cicatriz visível, mas com o tempo, transforma-se numa marca destruidora de normalidades. 

Sou só, este monstro humano, tirano, que é tão dócil como os poucos que me conseguiram afagar.

February 1, 2018

Pacto

Vivo num despudor de aceitação, mas nem de acordo com a mentira que vive dentro dos outros! Só, porque me deixo usar pela bondade e gratidão que emano, a que só, eu dou.

A retribuição não existe. Essa forma plena de obrigado é uma miragem concreta na cabeça de quem a profere, mas em mim… nem a sinto. Essa mentira contada a eles próprios aflige-me, pois de alguma forma pactuei com esta falta de carácter ao longo destes anos. Devia ter sido ainda mais direto, menos respeitador dessa demência que incapacita, mais eu – assertivo e inconvenientemente carrasco da falta de verdade – até porque, no final, quem sente a deficiência, sou eu.

Agora, que mostro da minha forma adulta o que não posso aceitar por cada um que me rodeia, sou um tirano. Sou desmedido e exagerado, demasiado intenso, demasiado sério. Pedem-me que mude, me mude. Que altere a forma rigorosa e assertiva de ser notável. Ser, rigoroso, exigente, disciplinado. Sagaz.

Quando posso ser visionário, sou finalmente eu. Livre, para criar dentro de todas as regras, sistemas e normas que alimentam a visão de excelência e notabilidade de onde nasci. Visualizo-me, e a eles, e nesse duplo reflexo ajo como o espelho da verdade. Assim vêem-se momentaneamente, miram-se incapazes. As pernas tremem da verdade incontornável, pública, despudorada, essa sim, algo em que aceito viver. São mesquinhos, mentem por pouco, até aceitam o roubo de uma carica por ser só isso, uma carica. São indecentes comigo, mas primeiro com eles. Escolhas.

Neste claro momento de mim, só, porque ninguém me acompanha, devo assumir essa solidão? Só, porque os carrego comigo, vou resignar-me a ser um ser, só? Só porque eles não são capazes eu tenho de abrandar? Há quem diga que temos que ajudar o próximo, há quem clame que nós somos o primeiro momento de ajuda aos outros, eu afirmo que me prefiro, só.

Vou continuar, mais adentro. Ninguém que eu conheço tem a capacidade de me ignorar, de ser indiferente ou que eu o seja a si. Sou marcante pela minha excentricidade humilde; pela minha intensidade que humedece os olhos aos amigos e as pernas ás que me cobiçam. Deixo sempre uma marca, sem cicatriz visível, mas com o tempo, transforma-se numa marca destruidora de normalidades. 

Sou só, este monstro humano, tirano, que é tão dócil como os poucos que me conseguiram afagar.

February 1, 2018

Uma forma de conteúdo assertivo, rigoroso e apaixonante; uma visão da estranheza que me assalta as veias com a disponibilidade de um tufão.

the MONSTRUKTOR

January 31, 2018

Uma forma de conteúdo assertivo, rigoroso e apaixonante; uma visão da estranheza que me assalta as veias com a disponibilidade de um tufão.

the MONSTRUKTOR

January 31, 2018

Língua

Plano quase bidimensional, com a projeção do invisível desde a matéria elementar do primeiro plano, até ao final.

Sólidos, cor e volumes, descritos pela base do R, do G, do B e pela explicação do K.

Estrutura, partições e constituintes, pontos notáveis e a luz/sombra/volume que tudo decifra.

Uma composição de clareza, definição e intenção.

A simples estratégia da estranheza, nas entranhas do roubo, as do segundo olhar: o que capta a essência além do somente visível.

January 30, 2018

Língua

Plano quase bidimensional, com a projeção do invisível desde a matéria elementar do primeiro plano, até ao final.

Sólidos, cor e volumes, descritos pela base do R, do G, do B e pela explicação do K.

Estrutura, partições e constituintes, pontos notáveis e a luz/sombra/volume que tudo decifra.

Uma composição de clareza, definição e intenção.

A simples estratégia da estranheza, nas entranhas do roubo, as do segundo olhar: o que capta a essência além do somente visível.

January 30, 2018

Gosto de ajudar, penso sempre no próximo por defeito, isso mesmo, por ter um defeito, pois o feito nem me é dado a respeito. A retribuição imberbe não me chega, nem madura. Imbecis.

the MONSTRUKTOR

January 29, 2018

Gosto de ajudar, penso sempre no próximo por defeito, isso mesmo, por ter um defeito, pois o feito nem me é dado a respeito. A retribuição imberbe não me chega, nem madura. Imbecis.

the MONSTRUKTOR

January 29, 2018

A mediocridade é como um fato feito à medida.

the MONSTRUKTOR

January 19, 2018

A mediocridade é como um fato feito à medida.

the MONSTRUKTOR

January 19, 2018

Celebrar!? Sim, para mim, por mim, no meu dia, à minha maneira e gosto, a significar e sugerir aquilo que me identifica bem e saudável, um processo pessoal, singular, próximo do ser que emana de mim. Simples.

the MONSTRUKTOR

January 17, 2018

Celebrar!? Sim, para mim, por mim, no meu dia, à minha maneira e gosto, a significar e sugerir aquilo que me identifica bem e saudável, um processo pessoal, singular, próximo do ser que emana de mim. Simples.

the MONSTRUKTOR

January 17, 2018

No momento em que comecei o que hoje simplesmente acontece, enfrentei a existência do nada construído. Culpei-me na fúria, mas sempre soube que o mal nunca esteve em mim, mas antes na liberdade que dou a quem nada sabe sobre ser assim. Como eu sei.

the MONSTRUKTOR

January 11, 2018

Na minha presença alinho o mundo, mas na ausência ele alinha-se ainda mais.

the MONSTRUKTOR

January 4, 2018

Na minha presença alinho o mundo, mas na ausência ele alinha-se ainda mais.

the MONSTRUKTOR

January 4, 2018

Por quem

Nas vezes que definho em palavras, sinto que nem progrido por mim.

Faço-o descriminado pelo tempo que me dão, as pessoas que desfilam no seu tempo, por mim.

Nesse ponto atemporal de pensar em mim não penso, sinto.

Muito pelos outros e muito pouco por mim.

Tenho que o fazer mais, e faço, sinto que sim.

Estou a fazê-lo agora, mas nem assim me sinto assim tanto em mim.

Mesmo a desfilar pelos poucos outros, alguns que me pedem mais que o faça, por mim, sinto que dou o que posso e não posso mais dar de mim.

Mas é assim que me sentem, esses outros que me pedem, que falam e devem tanto a eles, e ainda mais a mim. A dívida cresce, num retrato de mim, por isso retribuo para sempre em quadros de ser, até que…

A obra se mostra, cresce e robusta, vence o pudor do poder e deslumbra quem a vê ver. Afirma-se na frase que extinta, se faz sentida e impera desde esse fim. Um mural de estrela, feito da cidade que o viu nascer, essa obra, prima, que em mim nunca se irá mais ter.

Enfim.

January 3, 2018

Perante mim, alguém, profissional, suposto, justificou-se incapaz de me acompanhar nos livros.

the MONSTRUKTOR

December 27, 2017

Perante mim, alguém, profissional, suposto, justificou-se incapaz de me acompanhar nos livros.

the MONSTRUKTOR

December 27, 2017

Deambular por entre a natural cristalização da Belle Époque #museum #serralves #new #project #work #master #siza #art #pavillion #display #experience (at Museu de Arte Contemporânea de Serralves)

December 25, 2017

Deambular por entre a natural cristalização da Belle Époque #museum #serralves #new #project #work #master #siza #art #pavillion #display #experience (at Museu de Arte Contemporânea de Serralves)

December 25, 2017

Transformações de forma em algo meu pelo filtro de um outro #transformation #museum #serralves #new #project #work #master #siza #art #pavillion #shape (at Museu de Arte Contemporânea de Serralves)

December 25, 2017

Transformações de forma em algo meu pelo filtro de um outro #transformation #museum #serralves #new #project #work #master #siza #art #pavillion #shape (at Museu de Arte Contemporânea de Serralves)

December 25, 2017

Preciso perder o medo de desenhar.

the MONSTRUKTOR

December 23, 2017

De entre todos, há uns nenhuns que tentam tudo e fazem o que são.

São os tenho muito e afinal, não são nada mais que isso, pois a seguir, pára.

the MONSTRUKTOR

December 23, 2017

De entre todos, há uns nenhuns que tentam tudo e fazem o que são.

São os tenho muito e afinal, não são nada mais que isso, pois a seguir, pára.

the MONSTRUKTOR

December 23, 2017

Fragments of time and work #fragments #time #WORK #expectations (at studium)

October 21, 2017

Infinitely broader than I ever thought I could be. Almost inter dimensional, overwhelming and assuming unearthly powers. Honestly and humbly arrogant. Obsolescent by choice only to continuously design my own result.

the MONSTRUKTOR

September 11, 2017

One king, one voice, a single light and a precise direction, dominant and enlightened, successful and achieving higher than higher expectations.

This is how i see me, how i know i affect my self awareness in the cyclic progression of my life and in the way it influences everything around. 

Almost everyone i see progressing at a self inflated pace is fantasising on the this words as the normal description of their lives. Ah ha aha ahahahah… this is just the conundrum of the weak! This is the lightest thought of a doomed mind, envisioning the possibility of being able to cope with power only to fall in the ridiculousness of their own existence. How many have i seen directing truth as if it was true, and not realising the ridiculous fantasy they were directing at others. Oh, you small little people… How despair has reached you within, and in such an infected state, that you’re contaminating not only the host, but also the reality of some who seem to follow blindness itself. I pity no one, i commiserate only the time and matter they are wasting as humans.

But please don’t stop, please continue, because in that way I’m validated by my own actions and surely by all of your inactions.

August 30, 2017

In all these years I proved myself that commitment and result comes from effectiveness and not hard work.

It’s better to work efficiently than harder.

the MONSTRUKTOR

August 4, 2017

Always smarter than harder.

the MONSTRUKTOR

June 22, 2017

Desta vez há uma mão de ferro, há a imposição de uma insígnia que atravessa a mente de rompante como a minha nova identidade.

Desta vez invertida, numa simetria convergente e nunca oposta, uma mudança de paradigma, para perto, pois esta também é a mão que conta. O equilíbrio do poder vivo entre o que era e o que será, foi, é. Mais. Par. Para? Nada, somente para marcar mais um ponto nessa espiral gravítica para a frente.

É esta que declara o momento que vivo, pleno de resposta e de conjunto, fruto de vivos e ativos, declarativos sagazes e altruístas meus. É neste apoio de conforto entre gigantes que se roçam, que sei que o mais que nos assume não é o insucesso, mas sim o carácter do feito atingido por avançado despudor da excelência e da nossa própria notabilidade.

É esta que me deu a certeza que sim. Assumidamente sim, preenchida pelo caminho, na forma e conteúdo, a mim porque também preciso de ser um com as minhas próprias mãos. Quase sempre nãos, de quem protege, de quem se preocupa é de quem é o couraçado que nunca se afunda, nem finda! e que agora detém os mais procurados sins de todos. Pecados, nenhuns, pois é na prevalência da verdade onde orbito e sou o tal único que sabe o que sente.

A mão esquerda? Sim, a mão que sempre esteve lá, bastava olhar para ela a mirar a outra.

June 22, 2017

Work twice as hard to get half as far is a justifiable mediocrity reason of the unable.

Sure and wrong as the majorities that prevent it from happening.

I prefer, evidently far and effortlessly​ right.

the MONSTRUKTOR

June 4, 2017

I have the ability to interact with people in the most uncommon and uncomfortable ways.

Mostly, I end up showing them the lie in which they live in and how small and insignificant their insecurities are.

Rarely, others, become aware and act accordingly, enhancing this singular sense of human relations in a forward motion of clerical width.

the MONSTRUKTOR

May 3, 2017

What has began to wonder about the misleading difference of men…

The way the fruitful became a disgrace of what was expected to be more and better. Avoiding the subject of equality, escaping the comparison of competence and entering by losing the clash of egos.

Questing my expansionist through my integrationist will ways associate the propagation of added quality to the higher demand of quantity and not to the visible mediocrity of an independent and ephemeral result.

No credit can be made from the runway thoughts of lack of prospective, but to the essence of strategy and meticulous demand of guidance and focused individuals.

The ones I own and have aligned even in the deepest untractional mud.

April 12, 2017