relativity

I don’t use this for any type of judgment than my own;

for any type of political discussion or informal intelectual engagement;

for any and specific sort of moral activism such as race/gender positioning and/or religious supremachismes;

for anything dealing with illegal activities such as the ones intending to disrespect/deflect even a millimeter from ALL rights dued to making and to planet earth noted on common known universal texts and ethical agreements;

for any type of ignorance, lie, pseudo intellectualism and mediocrity;

and finally, for anything that could impact the exponential prosperity of human culture as a whole.

Therefore I acknowledge rules, love, capitalism, sex and everything in between as perfectly relative to me and to everybody else.

June 7, 2020

O mundo é factual. As pessoas fazem-no relativo. Eu procuro o absolutismo desse facto. Isso custa muito de mim, exige tudo de mim e no entanto ninguém o reconhece devido à sua relatividade e à minha crédula passividade nesses seres.

May 4, 2019

Por quem

Nas vezes que definho em palavras, sinto que nem progrido por mim.

Faço-o descriminado pelo tempo que me dão, as pessoas que desfilam no seu tempo, por mim.

Nesse ponto atemporal de pensar em mim não penso, sinto.

Muito pelos outros e muito pouco por mim.

Tenho que o fazer mais, e faço, sinto que sim.

Estou a fazê-lo agora, mas nem assim me sinto assim tanto em mim.

Mesmo a desfilar pelos poucos outros, alguns que me pedem mais que o faça, por mim, sinto que dou o que posso e não posso mais dar de mim.

Mas é assim que me sentem, esses outros que me pedem, que falam e devem tanto a eles, e ainda mais a mim. A dívida cresce, num retrato de mim, por isso retribuo para sempre em quadros de ser, até que…

A obra se mostra, cresce e robusta, vence o pudor do poder e deslumbra quem a vê ver. Afirma-se na frase que extinta, se faz sentida e impera desde esse fim. Um mural de estrela, feito da cidade que o viu nascer, essa obra, prima, que em mim nunca se irá mais ter.

Enfim.

January 3, 2018

Relativizing …
1. People and money mainly.
2. Most of my lifestyle dogmas and expectations.
3. Work, under my own pressure.
4. The existence and recognition of love.
5. Proximity with strangers even if they know me and even if they think they know me.
6. Lists of others.
7. Success and failure.
8. Power about something (anything, except unconditional love and care).
9. Me.

the MONSTRUKTOR

April 11, 2016

Using my gravitational singularity you can slingshot yourself to the future and I will remain relatively older.

the MONSTRUKTOR

February 14, 2015