Evoking ontological habitats

Crossing places, spaces and time, a curious woman reflects on her own habitat. Is she alone?

Tentatively replacing the definition of habitare in an hysterical journey, a character experiences one timeline within a specific narratorial critic aimed at inverting the process of curation; another “character” enacts a contagion with propositions for a subliminar occasion on constructing new strategies deriving the projects into divergent naive tactics. Physically experiencing timelines, they are able to consolidate a cumulative result gathered from crossings and habitats. By visiting key contexts as pivoting moments on the story, a character is tangential to her reflection on habitats and infers organic connections between concurrent timelines (story, characters, projects). The result is a pedagogical insight about the manipulation of the methodological approach, where 6 chapters are subverting ontologically the unpredictable outcome from the contagion and a 7th chapter is the epistemological moment of contribution to any impact in such a queer future.

An ontological insight in to spatial existence from the internal dialogue of a curious woman leaving her own theological habitat + explosion: the death of mystery and engulfing other primitive shadows + stranded in time: this present loop as a conjecture of past epistemologies, discussing brutalism and postmodernism.

A detour nonetheless + subverting the known provenance of the inputs – in a six part symbiotic dialogue between the chapters of the book and the selected projects – the author navigates visibility ( taking part of the narrative, being the narrative and proposing a subliminar narrative ) inconspicuous even to the known characters of this story.

The house that feminism built: a classical habitat, manifestation of privileged modernism and the current inducing state of absent democracy + decolonization and the politics of creation within the ethics of being human and conditional relations.

Connecting time will not change the outcome of the future : her letter to Vitruvius + she’s not alone. She’s a physical result of the intersecting timelines, characters, habitats, works and uses her journey to engage a broader audience. She’s also the catalyst ( through her restless inconsequence ) that allows a definitive seventh chapter, presenting the bases for a future new liber to follow up on this story, provided from her letter to “ancient times”.

The constraints of dimensional thinking: libre in a time after the experiment, Earth + 10. Ego and me 09. Privately public and politics 08. On commissions and other ethical things 07. The ecology of briefing humans 06. Inherit heritage and techniques on knowledge 05. The process as an evolutionary system and methodology of indexation 04. On materials and sites, territories and one landscape 03. The ontology of spaces and dimensional things 02. On emotional Synaesthesia 01. Glossary of practices

January 27, 2020

December 19, 2019

@blackbombaim @loverslollypops @ardaaudio #reverbations #room #concrete #sound #jonathansaldanha #live #recording #album #music #Porto #feup #laboratory #acustics (at FEUP)

April 21, 2018

@blackbombaim @loverslollypops @ardaaudio #reverbations #room #concrete #sound #jonathansaldanha #live #recording #album #music #Porto #feup #laboratory #acustics (at FEUP)

April 20, 2018

@blackbombaim @loverslollypops @ardaaudio #reverbations #room #concrete #sound #jonathansaldanha #live #recording #album #music #Porto #feup #laboratory #acustics (at FEUP)

April 20, 2018

@blackbombaim @loverslollypops #reverbations #room #concrete #sound (at FEUP)

April 20, 2018

Slown down, to the point of the unrecognizable motion of life. Observe and align intentions with the natural roam of the remains of our time. Take your part of the way.

the MONSTRUKTOR

April 18, 2018

A perfect life is just, life. Perfectly imperfect.

the MONSTRUKTOR

April 17, 2018

The @MONSTRUKTOR is the persona and brand of the author Sérgio Miguel Magalhães, whose main focus are the expression and thinking process, applied to different realities in his life and his surroundings.

This graphic identity is the reflection of a changing moment, with the migration from the tumblr blog to his own website. This is definitely one of the biggest steps towards the author’s recognition and statement.

That’s why identity is a necessary approach so that Sérgio can be known by its strong and coherent imagery that defines the author and his dedication to others, showing them always more. More about people, awareness, social interactions, amongst many others aspects of life…

In 2018 we present a one of a kind proposal, based on the deep knowledge of the author as well as the presence of a “curator”.
The colors, shapes and typography are meant to define the best of this man. The oddity is a strong key point that is as visible in the identity, as it is in almost every aspect of the author himself.

(at studium)

April 15, 2018

O @MONSTRUKTOR é a persona e marca do autor Sérgio Miguel Magalhães, cujo principais focos são a expressão e o processo de pensamento, aplicados a diferentes realidades da sua vida e do que o rodeia.

Esta identidade gráfica é o reflexo de um momento de mudança, marcado pela migração do blog tumblr para um site próprio. Este é sem dúvida um dos mais importantes passos para o reconhecimento e afirmação do autor.

A identidade é, por isso, uma abordagem necessária para que o Sérgio seja conhecido através de uma imagética coerente e forte, que define bem o autor e a sua dedicação aos outros, mostrando-lhes sempre mais. Mais sobre as pessoas, a consciência, as interações sociais, entre outros aspectos da vida…

Em 2018 apresentamos uma proposta única, baseada no grande conhecimento que temos do autor e na existência da figura “curador”.
As cores, formas e tipografia destinam-se a definir o melhor deste homem. A estranheza é um ponto chave visível tanto na identidade como em quase todos os aspectos do próprio autor.

#MONSTRUKTOR #graphic #identity #design #brand #author

+ http://studium.pt/project/monstruktor-the-author/ (at studium)

April 14, 2018

#sidewalkerdaily #sidewalkart #side #sidewalkerdaily #speed #limited (at Rio Tinto, Porto, Portugal)

April 14, 2018

#futuro #future #incredible #increible #Ready #Listo #pronto #project #monstruktor #Images #city #light #brand #branding #appropriation #mupi #poster (at Porto, Portugal)

April 13, 2018

Scarcity fills the mind with intrusive thoughts about what you do not have and without room for anything else. It denies the sense of mental health, only freedom can provide.

the MONSTRUKTOR

April 12, 2018

@stefansagmeister welcome to the last goodbye of/to #bolhao #market #Porto #Portugal #refurbishment #black #white #extreme #set #snapseed #experiment #design #architecture #pov #decay #implode #roof #ancient (at Mercado do Bolhão)

April 12, 2018

@stefansagmeister welcome to the last goodbye of/to #bolhao #market #Porto #Portugal #refurbishment (at Mercado do Bolhão)

April 12, 2018

Acusam-me de ser quem sou, como sou, e como isso faz doer algo que nem sei como existe. Acuso-me de descompassar ritmos em novos ritos, brilhos de eleição e projetos de ser quem nunca fui menos.

the MONSTRUKTOR

April 11, 2018

@stefansagmeister welcome to the last goodbye of/to #bolhao #market #Porto #Portugal #refurbishment (at Mercado do Bolhão)

April 11, 2018

soon i’ll give you, MORE

curation @catarinaplr

April 11, 2018

Nem todos são calculistas, bons.

the MONSTRUKTOR

April 10, 2018

#curve #design #thinking #ratio #ascension #theology #belief #Porto #church #old #tile #batalha #santo #bw #World #visit #ildefonso #walkable #city #entities (at Church of Saint Ildefonso)

April 10, 2018

Flow @ the state of the blind sight, of the silent profusion of noise, of inconspicuous reverbations, of the absent touch of certainty, of the repetion untill infinity of the present sureness. A constant supriment of ambition, desire and strength.

the MONSTRUKTOR

April 9, 2018

A arte de ser artista, não da arte, mas das artes, essas ardilosas variações do tema artista. Algo como, o artífice de algo artificial, astuto na medida antagónica da boa intenção e vontade ambiciosa em alcançar o que nunca será seu. O apanágio da resposta sã da evolução humana em artistices, financiadas publicamente por quem adire ao engodo, ou mesmo enganado, decide não ousar critério.

the MONSTRUKTOR

April 9, 2018

Extrapolation @ the deduction from the obvious, enhancing backwards validation and retro positives. Some are able to do it instinctively, I prefer to rationalize intents with facts, factors and conditions. This is my creative process in an advanced design thinking – applied generically to all mediums and not exclusively to a creative methodology – which disserts my everyday decisions with remarkable justifications, irrefutable detail and my incomparable assertive oddity.

the MONSTRUKTOR

April 8, 2018

Dominaktor

Deference, a prerequisite of my current state. A polite consideration about my mental ecosystems, arrogant while humble, submitted to the quest to creatively construct content. Positive, forwarding intentions and levering everything around me, in my fixed status of dominance. All ways including others in the depths of my path, with no shame, no regret and without constraints. A pursue of context, in which I can only be measured by myself.

Reference, to the notable candidate for eternity. A singular point in the evolution of men. Women too, as a respectful part of my humanity, but I am an allusion mainly as a man. Tall while erect, vertically aligned with the horizontal world of inclusion and participation, an infinite axiom of possible directions. I am therefore unequally equal to all the others. Always trying to cope with the loneliness of being followed while denied the comprehension of my simplicity.

Power. Never less than intense and passionate, a reveal that overwhelms my ancestors till the end of mortality. Controlled by the quest to become more and everytime I breathe. Tyrannical, submitting my existence to the pursuit of the best in all of them, neglecting only that the connections I have to my singularity are not handled by their mundane connectors.

And yet I share.

April 6, 2018

#sequence #Action #Urban #landscape #actor #Porto #cross #christ #church (at Porto, Portugal)

April 5, 2018

#sequence #Action #Urban #landscape #actor #Porto #texture (at Porto, Portugal)

April 5, 2018

#sequence #Action #Urban #landscape #actor #Porto (at Porto, Portugal)

April 5, 2018

Sofrer é um hábito, é uma rotina que não se pode explicar a todos, nem fazer desaparecer com a vontade. É uma virtude que se não for de vítima dá algo mais, algo que a mera palavra não consegue explicar. É um âmago de coragem que não depende desse resultado pontiagudo que geralmente se recusa, e pelo contrário intensifica o contornos de todas as formas. Ou então, estou em negação e preciso de ajuda para identificar-me como agressor.

the MONSTRUKTOR

April 5, 2018

Sofrer é um hábito, é uma rotina que não se pode explicar a todos, nem fazer desaparecer com a vontade. É uma virtude que se não for de vítima dá algo mais, algo que a mera palavra não consegue explicar. É um âmago de coragem que não depende desse resultado pontiagudo que geralmente se recusa, e pelo contrário intensifica o contornos de todas as formas. Ou então, estou em negação e preciso de ajuda para identificar-me como agressor.

the MONSTRUKTOR

April 5, 2018

Tenho que parar de negar que eu é que sou a obra prima, o tema único e principal da obra, a notabilidade de tudo o que me rodeia. Sim, sou eu.

the MONSTRUKTOR

April 4, 2018

Tenho que parar de negar que eu é que sou a obra prima, o tema único e principal da obra, a notabilidade de tudo o que me rodeia. Sim, sou eu.

the MONSTRUKTOR

April 4, 2018

A extrema unção da mentira, repetida vezes e vezes sem conta, como se soubesses que já não vale a pena voltar à verdade. Ainda há tempo para a redenção, não é verdade?

the MONSTRUKTOR

April 1, 2018

I have seen so many, with ambitions as large as their aptitudes, struggle to search for a distinctive profession and become valid through that, as a career. I too, have, and will continue to gather, amplifying my assertiveness into the production of strategic investruments that consolidates what am obliged to say: I establish only authorship, my own.

the MONSTRUKTOR

April 1, 2018

#ostinatorigore #joaoalvarorocha #conferencias #mam18 #sketch #arquitectura #maia #doodle @mesdaarquiteturadamaia @andreiagarcia @diogoaguiarstudio @cultour_pt @nunovalentimlopes @gigantejose (at Câmara Municipal da Maia)

March 29, 2018

#joaoalvarorocha #conferencias #mam18 #sketch #arquitectura #maia #doodle @mesdaarquiteturadamaia @andreiagarcia @diogoaguiarstudio @cultour_pt @nunovalentimlopes @gigantejose (at Câmara Municipal da Maia)

March 29, 2018

#joaoalvarorocha #conferencias #mam18 #sketch #arquitectura #maia #doodle @mesdaarquiteturadamaia @andreiagarcia @diogoaguiarstudio @cultour_pt @nunovalentimlopes @gigantejose (at Câmara Municipal da Maia)

March 29, 2018

#joaoalvarorocha #conferencias #mam18 #sketch #arquitectura #maia #doodle @mesdaarquiteturadamaia @andreiagarcia @diogoaguiarstudio @cultour_pt @nunovalentimlopes @gigantejose (at Câmara Municipal da Maia)

March 29, 2018

#joaoalvarorocha #conferencias #mam18 #sketch #arquitectura #maia #doodle @mesdaarquiteturadamaia @andreiagarcia @diogoaguiarstudio @cultour_pt @nunovalentimlopes @gigantejose (at Câmara Municipal da Maia)

March 29, 2018

Exiguidade @ no acesso à minha atenção, pela necessidade que tenho de me ter mais em tempo e forma. Especialmente imposto, aos que não se dão da mesma maneira a si próprios, como sendo o apanágio do seu domínio e auto estima, e em resposta à minha suprema exigência.

the MONSTRUKTOR

March 29, 2018

Exiguidade @ no acesso à minha atenção, pela necessidade que tenho de me ter mais em tempo e forma. Especialmente imposto, aos que não se dão da mesma maneira a si próprios, como sendo o apanágio do seu domínio e auto estima, e em resposta à minha suprema exigência.

the MONSTRUKTOR

March 29, 2018

Notabilidade @ noção de ser quem sou, sem margem para dúvida, na abordagem que divide o mundo entre os que pertencem à raça por analogia e os que são indivisíveis pela sua singularidade.

March 27, 2018

I am not what my constraints allow me to be.

the MONSTRUKTOR

March 27, 2018

Travão

Apetece-me muito mas sei que não posso, ainda. Há essa vontade de ser e fazer ser como ninguém, em mim, mas não a há dentro de quem me interessa. Erro, pois primeiro, interesso-me por toda a gente, e isso não está bem.

Eu sei o que quero, como quero e quando quero, mas nos outros há um limite que não se ultrapassa. É ócio, mais preguiça que dúvida, uma facilidade que se permito, erro, eu, pois dou sem pensar, eles não.

Erro. Não posso. Não devo, não tenho sequer que aligeirar a proximidade que permite essa usurpação da minha vontade de estar presente por mim só.

Eu sei que sou mais. Tudo. Mas também sou fácil, útil, perto, ductil. Sou e dou o que tenho na expectativa da execução, sempre gorada nas múltiplas vezes que repito o que digo até à exaustão.

Erro. Aprendo. Protejo-me pouco e os espertos vêem bem isso. São astutos na forma como se encavalitam em mim. Usam e abusam da minha infinita vontade de melhor, nunca mais.

Parar, porquê? Pelos outros, mais uma vez, ou por mim, de facto?

Sim, talvez, parar agora num sinal de força e reunião de ainda mais força. Juntar a visão à forma, ao discurso e ao foco. Simplesmente, prever orientar-me nesse labirinto de sucção humana para usar a solução à partida.

Sim, parar para avançar.

March 27, 2018

Travão

Apetece-me muito mas sei que não posso, ainda. Há essa vontade de ser e fazer ser como ninguém, em mim, mas não a há dentro de quem me interessa. Erro, pois primeiro, interesso-me por toda a gente, e isso não está bem.

Eu sei o que quero, como quero e quando quero, mas nos outros há um limite que não se ultrapassa. É ócio, mais preguiça que dúvida, uma facilidade que se permito, erro, eu, pois dou sem pensar, eles não.

Erro. Não posso. Não devo, não tenho sequer que aligeirar a proximidade que permite essa usurpação da minha vontade de estar presente por mim só.

Eu sei que sou mais. Tudo. Mas também sou fácil, útil, perto, ductil. Sou e dou o que tenho na expectativa da execução, sempre gorada nas múltiplas vezes que repito o que digo até à exaustão.

Erro. Aprendo. Protejo-me pouco e os espertos vêem bem isso. São astutos na forma como se encavalitam em mim. Usam e abusam da minha infinita vontade de melhor, nunca mais.

Parar, porquê? Pelos outros, mais uma vez, ou por mim, de facto?

Sim, talvez, parar agora num sinal de força e reunião de ainda mais força. Juntar a visão à forma, ao discurso e ao foco. Simplesmente, prever orientar-me nesse labirinto de sucção humana para usar a solução à partida.

Sim, parar para avançar.

March 27, 2018

@mesdaarquiteturadamaia @andreiagarcia @diogoaguiarstudio @margarida_fsa @cultour_pt @camara_municipal_da_maia #mam #joaoalvarorocha #maia #mam18 #patrimonio #defesa #obra #arquitectura #arquitecturaportuguesa #mam19 #jatenssaco? (at Maia, Porto, Portugal)

March 25, 2018

@mesdaarquiteturadamaia @andreiagarcia @diogoaguiarstudio @margarida_fsa @cultour_pt @camara_municipal_da_maia #mam #joaoalvarorocha #maia #mam18 #patrimonio #defesa #obra #arquitectura #arquitecturaportuguesa #mam19 #jatenssaco? (at Câmara Municipal da Maia)

March 25, 2018

Quem me segue é quem mais me magoa.

the MONSTRUKTOR

March 25, 2018

Quem me segue é quem mais me magoa.

the MONSTRUKTOR

March 25, 2018

@mesdaarquiteturadamaia @andreiagarcia @diogoaguiarstudio #mam #joaoalvarorocha #maia #maia #mam18 #patrimonio #defesa #obra #arquitectura #arquitecturaportuguesa (at Fórum Da Maia)

March 24, 2018

@mesdaarquiteturadamaia @andreiagarcia @diogoaguiarstudio #mam #joaoalvarorocha #maia (at Fórum Da Maia)

March 24, 2018

Na contração do óbvio com a simplicidade; na vivência do conceito, sistematizado; no progresso do momento exonerado de dúvida só para que surjam todas mais; na ambição suprema de ser eterno após o que aprendo em vida, incitando mais vidas a ser como nem querem; garanto, o homem, que sem obra, não é homem, nem humano.

the MONSTRUKTOR

March 24, 2018

Na contração do óbvio com a simplicidade; na vivência do conceito, sistematizado; no progresso do momento exonerado de dúvida só para que surjam todas mais; na ambição suprema de ser eterno após o que aprendo em vida, incitando mais vidas a ser como nem querem; garanto, o homem, que sem obra, não é homem, nem humano.

the MONSTRUKTOR

March 24, 2018

Obrigado aos meus modelos! @studiumpt @monstruktor @all_ways_cat @tiagonogueira21 @hugom4rtins @catiatpereira #studio #life (at studium)

March 23, 2018

@studiumpt #work #workstation #light #lamp #Yellow #green #Chair #table #tools #box #bokeh #blur #studio #Workplace #drafting #table #dof #Porto #studium #creative #architecture #design #graphic #graphicdesign #web #webdesign #productdesign #secondhome #Team (at studium)

March 23, 2018

Afasta-te das pessoas, desse sentimento que te contamina e te seduz. Deixa que a perda as invada e até eu sinta que é injusto. Faz com que a dúvida se dissipe, imediatamente após a descoberta dessa luz. Agonia é viver nesse estado, não é mudar para o meu patamar, que por ser elevado, não justifica, nunca, como, eu sou sempre magoado.

the MONSTRUKTOR

March 22, 2018

@studiumpt #work #workstation #light #lamp #Yellow #green #Chair #table #tools #box #bokeh #blur #studio #Workplace #drafting #table #dof #Porto #studium #creative #architecture #design #graphic #graphicdesign #web #webdesign #productdesign #secondhome #Team (at studium)

March 22, 2018

@studiumpt #work #workstation #light #lamp #Yellow #green #Chair #table #tools #box #bokeh #blur #studio #Workplace #drafting #table #dof #Porto #studium #creative #architecture #design #graphic #graphicdesign #web #webdesign #productdesign #secondhome #Team (at studium)

March 21, 2018

A magnitude da purga, essa magnífica imagem que é, a renovada forma de ser novo, a magnânime indulgência do pretérito perfeito que é, a busca do que ainda não é nada para ninguém. Esse mistério propõe compromisso, perda e talvez até remorso, mas nunca em mim, e nunca irá ser a causa da morte do critério e da intensidade de viver assim. Nunca deixarei de ser quem sou, só para depois criar quem me rodeia.

the MONSTRUKTOR

March 21, 2018

A magnitude da purga, essa magnífica imagem que é, a renovada forma de ser novo, a magnânime indulgência do pretérito perfeito que é, a busca do que ainda não é nada para ninguém. Esse mistério propõe compromisso, perda e talvez até remorso, mas nunca em mim, e nunca irá ser a causa da morte do critério e da intensidade de viver assim. Nunca deixarei de ser quem sou, só para depois criar quem me rodeia.

the MONSTRUKTOR

March 21, 2018

@studiumpt #work #workstation #light #lamp #Yellow #green #Chair #table #tools #box #bokeh #blur #studio #Workplace #drafting #table #dof #Porto #studium #creative #architecture #design #graphic #graphicdesign #web #webdesign #productdesign #secondhome #Team (at studium)

March 21, 2018

A monocultura da ignorância, da inveja e da gula. O apogeu dos profissionais da ganância como a evolução evidente da espécie. Seus eucaliptos, ardam.

the MONSTRUKTOR

March 21, 2018

@studiumpt #work #workstation #light #lamp #Yellow #green #Chair #table #tools #box #bokeh #blur #studio #Workplace #drafting #table #dof #Porto #studium #creative #architecture #design #graphic #graphicdesign #web #webdesign #productdesign #secondhome #Team (at studium)

March 20, 2018

Extravasar-me @ um ato auto inflito, fora do normal, que reconhece o direito ao atravessamento e vazamento de matéria valor, na direcção pública da exposição mediática e natural.

the MONSTRUKTOR

March 20, 2018

#work #workstation #light #lamp #Yellow #green #Chair #table #tools #box #bokeh #blur #studio #Workplace #drafting #table #dof #Porto #studium #creative #architecture #design #graphic #graphicdesign #web #webdesign #productdesign #secondhome #Team #connections #dialog #legacy @studiumpt (at studium)

March 19, 2018

Dádiva

Tenho uma grande dificuldade em falar com os outros sobre como eu vivo.

A exigência de uma comparação, não permite uma distância abstracta e objectiva, sobre a minha visão estrutural, sobre cada comportamento, opção ou mesmo, sobre os pontos de vistas accionáveis que promovo enquanto ser social.

Dessa forma, a justificação impossível, no sentido lato da humanidade crítica (do que e do como, eu interajo e os permito interagir comigo), é no mínimo, de difícil acesso, mental.

Demonstrar, como exemplo, num raciocínio de manipulação do resultado final amplificado, o respeito pelo outro, no pleno sentido da ajuda e da dádiva, é, e será sempre, uma falácia relacional. Mesmo consciente do quão incapaz ou infrutífera essa situação é, o descrédito pela incompreensão ainda prevalece.

Este é o espectro onde o ser biológico submete a sua essência sobre qualquer outra dimensão humana.

No mesmo plano, garantir que a humanidade de um monstro é a sua face mais realista, situa-se antropologicamente entre a progressão selectiva enquanto o objectivo do raciocínio e o desenvolvimento pessoal enquanto a antítese do comum.

March 19, 2018

Dádiva

Tenho uma grande dificuldade em falar com os outros sobre como eu vivo.

A exigência de uma comparação, não permite uma distância abstracta e objectiva, sobre a minha visão estrutural, sobre cada comportamento, opção ou mesmo, sobre os pontos de vistas accionáveis que promovo enquanto ser social.

Dessa forma, a justificação impossível, no sentido lato da humanidade crítica (do que e do como, eu interajo e os permito interagir comigo), é no mínimo, de difícil acesso, mental.

Demonstrar, como exemplo, num raciocínio de manipulação do resultado final amplificado, o respeito pelo outro, no pleno sentido da ajuda e da dádiva, é, e será sempre, uma falácia relacional. Mesmo consciente do quão incapaz ou infrutífera essa situação é, o descrédito pela incompreensão ainda prevalece.

Este é o espectro onde o ser biológico submete a sua essência sobre qualquer outra dimensão humana.

No mesmo plano, garantir que a humanidade de um monstro é a sua face mais realista, situa-se antropologicamente entre a progressão selectiva enquanto o objectivo do raciocínio e o desenvolvimento pessoal enquanto a antítese do comum.

March 19, 2018

#light #magic #rubble #contrasts (at Porto, Portugal)

March 18, 2018

#close #window #another #opening
(at Porto, Portugal)

March 18, 2018

Há, um espaço entre as palavras. Um momento em que não se lê ou vê ou mede um significado. Existe, para ser possível questionar, nos, do ponto de vista que nos defrauda, e tolda a mente, com o tudo do nada. Todo o mundo sabe que é assim, mas nega. Eu vivo nesses espaços, intersticial, como só um homem do todo consegue gravitar por entre entendimentos.

the MONSTRUKTOR

March 17, 2018

Há, um espaço entre as palavras. Um momento em que não se lê ou vê ou mede um significado. Existe, para ser possível questionar, nos, do ponto de vista que nos defrauda, e tolda a mente, com o tudo do nada. Todo o mundo sabe que é assim, mas nega. Eu vivo nesses espaços, intersticial, como só um homem do todo consegue gravitar por entre entendimentos.

the MONSTRUKTOR

March 17, 2018

Sinto que estou a fazer as pazes que nunca foram guerra, foram somente a forma de culpar-me por nunca ter sido mais para mim.

the MONSTRUKTOR

March 17, 2018

1, só isso. 1. #joaoalvarorocha #casa #varzea #mam18 @mesdaarquiteturadamaia (at Fórum Da Maia)

March 17, 2018

1, só isso. 1. #joaoalvarorocha #casa #varzea #mam18 @mesdaarquiteturadamaia (at Fórum Da Maia)

March 17, 2018

Há uma mulher que ainda segue o espectro da obra do #joaoalvarorocha #per #maia #mam18 #patrimonio #defesa #manutencao #obra @mesdaarquiteturadamaia (at Maia, Portugal)

March 17, 2018

É mais fácil gostarmos de nós, e do que é nosso, se virmos em outros a mesma busca pela humanidade. O erro, a obsessão, a displicência com o conformismo, a tirania da visão irredutível na obra do #joaoalvarorocha (at Fórum Da Maia)

March 17, 2018

É mais fácil gostarmos de nós, e do que é nosso, se virmos em outros a mesma busca pela humanidade. O erro, a obsessão, a displicência com o conformismo, a tirania da visão irredutível na obra do #joaoalvarorocha (at Fórum Da Maia)

March 17, 2018

#menino #especial #curso #cinema #camara #camera #video #canon #sony #fullframe #storyboard #plans #escala #work #street #creative #director #direction (at Palacette of Belomonte)

March 16, 2018

#curso #cinema #camara #camera #video #canon #sony #fullframe #storyboard #plans #escala #work #street #creative #director #direction (at Palacette of Belomonte)

March 16, 2018

#curso #cinema #camara #camera #video #canon #sony #fullframe #storyboard #plans #escala #work #street #creative #director #direction (at Palacette of Belomonte)

March 16, 2018

#curso #cinema #camara #camera #video #canon #sony #fullframe #storyboard #plans #escala #work #street #creative #director #direction (at Palacette of Belomonte)

March 16, 2018