Escola pós traumática

É no Regresso que se figura uma oportunidade inquestionável de Reabilitar a relação humana com a escola.

Professores, alunos, famílias, agrupamentos, associações, direções e sindicatos devem ser assumir criteriosamente o seu papel individual neste assunto. É necessário Reposicionar a abordagem metodológica, reciclando o processo presencial e posicionando o meio digital. Desta forma é possível garantir como resultado um ensino eficaz, acessível e distribuído, ativando corretamente a comunidade implicada na pedagogia do amanhã.

Novas abordagens metodológicas e processuais podem ativar não só a curiosidade individual, mas também a política de criação coletiva, onde o local do costume, a escola, evoluiu para um novo lugar, ao jeito da casa de um povo, ao serviço da comunidade. É aqui que se pressupõe o lugar onde se ensina, se formam competências e se treinam certas habilidades. O poder deste local é imenso e deve acumular ainda a possibilidade da educação dos alunos, dos professores e de todos os envolvidos no processo.

Transformar a escola num lugar onde o estudo se pratica, tanto quanto a formação e o treino.

É necessário a ajuda dos professores, que precisam sair das lutas e das divisões sindicais e focar-se no bem mais precioso do nosso país, os jovens e o seu futuro. É necessário aproveitar as férias para mudar a forma de encarar a escola pelos alunos. É necessário implicar os professores e os pais, na abordagem e na renovação das ligações de cumplicidade alargada no apoio e na construção de uma comunidade participante e real.

É preciso aplicar a solução a partir da análise do problema.

— the monstruktor

Text

April 6, 2021


FOR ANY QUESTIONS