BOOKLET COLECTIVOS PLÁKA 01 : THE TIME(S) OF CONTEMPORANEITY

Despertar o próximo passo, pela participação, mas acima de tudo pela ativação do momento inquestionável do renovado apoio municipal à prática contemporânea, na assunção do curador como o último degrau evolutivo da espécie artística. É este o momento em que a convergência Darwiniana, determinista e epistemológica se refunda na doutrina de Descartes e Spinoza numa nova idade de razão e consciência.
Presenciar o fatal afunilamento de artistas ao encontro do seu dever, na constatação da sua pivotação desde o palco iluminista, o mesmo que os consome e os conceptualiza, dando lugar aos mestres que curam e protegem as práticas infantes, e essa enorme onda de futuras desilusões individuais. Sobrevisionar do fluxo migratório, desde já presencial e substancial, dos que buscam as luzes deste porto de cinza e ouro por entre a neblina do valor próprio, auto infligido, descartável e popular, social.

Carta de motivação MONSTRUKTOR

A minha visão, desde a leitura do tema proposto à sua configuração concreta, na minha prospeção do que são os TEMPO(S) da CONTEMPORANEIDADE.

— the monstruktor